sábado, 5 de abril de 2008

Deve chamar-se tristeza

Deve chamar-se tristeza
Isto que não sei que seja
Que me inquieta sem surpresa
Saudade que não deseja.
Sim, tristeza - mas aquela
Que nasce de conhecer
Que ao longe está uma estrela
E ao perto está não a Ter.
Seja o que for, é o que tenho.
Tudo mais é tudo só.
E eu deixo ir o pó que apanho
De entre as mãos ricas de pó.

(Fernando Pessoa)

Um comentário:

martha barbosa disse...

O acaso me trouxe aqui, e aqui fiquei lendo Fernando. seu blog é ótimo, espero que continue postando sempre. poesias ajudam a manter nossa alma em paz. Um abraço martha
Meu blog é marthacorreaonline.blogspot.com