terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Andanças (Releitura)


De galho em galho,
feito a ave perdida
nos encantos de fim
de orvalho,
fui pululando vida afora.
Estradas a dentro,
corações a esmo;
Olhares a deriva e,
pensamentos dispersos.

E assim, sem que eu percebesse
passaram-se os anos,
vieram as rugas,
foi-se o louro dos cabelos joviais.
Deram lugar ao cinza-vivência.
E estas palavras?
Elas nada mais são do que o resumo
de tantas andanças!

Um comentário:

Fatima disse...

Que lindeza de blog!
Bjs.