quarta-feira, 20 de março de 2013

Sobre Fugas e Luxúrias


Se eu não puder gritar,
se eu não puder fugir.
Se eu nem puder sentir,
ou simplesmente falar.

É por que o mundo mudou,
é por que o sonho morreu.
É que o amanhã não vem,
o que era mal virou bem.

Já não sou o mais seleto,
nem tampouco iluminado.
Talvez, um tanto incorreto;

Talvez, o ainda secreto
que deita-se com a luxúria
e morre mais a cada fúria.

2 comentários:

Ayesk@ disse...

Nossaaa, há quanto tempo não vinha aqui...

E continua sempre maravilhoso em sua escrita.

bjs doces e uma mega quarta para voce!

Serpente Angel disse...

Pra mim. "ambas", são necessárias... um bilhetinho, uma fuga, um carinho... Um canto secreto, sem amarras... são doses infinitas de imortais (reconstruções)necessárias. Parabéns!